top of page
Logo Final - Arquitetura & Turismo.png
  • Writer's pictureArthur de Macedo

Sede do Partido Comunista Francês, de Oscar Niemeyer. Você conhece?

Updated: Apr 6, 2023

Arquitetura & Turismo te apresenta esse que foi o primeiro projeto na Europa do arquiteto Oscar Niemeyer, um símbolo da Arquitetura Brasileira em Paris!

Dificuldade da Visita │ Fácil



Para você ter uma ideia da importância desse edifício, em março de 1972, um artigo na importante revista britânica, The Architectural Review, declarou que esse edifício era “provavelmente o melhor prédio de Paris desde o projeto da Cité de Refuge de Le Corbusier para o Exército de Salvação”.


Como Oscar Niemeyer foi o arquiteto desse projeto?


O nome de Oscar Niemeyer não era estranho no ambiente político, em 1952 ele trabalhou com o arquiteto Franco-suíço Le Corbusier no Edifício Sede das Nações Unidas em Nova Iorque, além de ter projetado em 1957 os edifícios governamentais icônicos na cidade de Brasília.


No ano de 1965, uma exposição centrada nos projetos de Niemeyer em Brasília, no Musée des Arts Decoratifs, em Paris, atraiu multidões recorde, bem como a atenção de arquitetos e políticos franceses.


A exposição aconteceu em um momento oportuno porque, apenas um ano antes, o governo brasileiro havia sido derrubado por uma ditadura militar de direita. Como notável comunista e franco esquerdista político, Niemeyer fugiu para a França e estabeleceu um escritório na Avenida Champs-Elysées, na cidade Luz.


Foi nesse cenário que o Partido Comunista Francês (CPF) contratou Niemeyer para projetar a nova sede do partido.


Niemeyer chegou a afirmar que, "As visões compartilhadas e a luta política foram muito mais importantes do que a arquitetura nesse projeto."


Como chegar?


Para visitar o projeto em Paris não tem muito erro, ele fica em um terreno de esquina, localizado de frente para a Place du Colonel Fabien, entre a Avenida Mathurin Moreau e a Boulevard de la Villette


O projeto


O partido é o equilíbrio entre o espaço aberto e o volume arquitetônico, Niemeyer libera o nível térreo do terreno, evitando uma construção com volume e ocupação excessiva.


Possibilitando assim um espaço verde tanto para o edifício como para cidade, e mantendo harmonia entre volumes e espaços no exterior.


O projeto engloba um bloco vertical de escritórios na forma de serpentina suportado por cinco pares de colunas; núcleos de serviços acoplados em duas torres separadas; além de uma série de espaços públicos subterrâneos.


A geometria deste edifício vertical, lembra o famoso projeto de Niemeyer do edifício Habitacional Copan, na cidade de São Paulo, com projeto datado de 1952, portanto 15 anos antes deste projeto para a Sede do Partido Comunista Frances.


No interior do edifício vertical, os escritórios são separados por divisórias desmontáveis, e uma escada em espiral leva à ampla sala de jantar com vista para a cidade, no sexto andar.


Todo esse bloco de escritórios é envolto por uma parede cortina de vidro, projetada pelo designer industrial, engenheiro e arquiteto francês Jean Prouvé.


Há um momento, que visualmente, a inclinação do terreno e a torre quase se encontram, é justamente nesse momento que a grande cúpula branca se apresenta, nela está localizada um auditório com capacidade para 450 pessoas, apenas uma parte da cúpula de forma irregular se estende acima do solo, fornecendo o icônico monte branco contra a fachada de vidro.


No subsolo, além do grande auditório, também se encontram espaços de exposição, salão de recepção, lounge, livraria, bem como várias salas de conferência.


É importante lembrar que a entrada principal para o usuário acontece através de uma grande rampa que mergulha para o subsolo do edifício, fórmula que acontece em outros projetos de Niemeyer, como a Catedral de Brasília e o Hotel de Brasília.


A geometria da cúpula é um forte traço projetual do arquiteto, esta tem 11 metros de altura e é revestida em milhares de lâminas de alumínio, que também são encontradas no Museu Oscar Nieymer em Curitiba e na própria cúpula do Senado em Brasília.


Outro fato curioso sobre esse projeto é que, enquanto o edifício vertical foi concluído em 1971, outros nove anos foram necessários para completar os espaços subterrâneos, sendo então a obra 100% concluída apenas em 1980.


Contemple este projeto!


Portanto na próxima ida a Paris, de uma escapada do roteiro turístico tradicional e visite esse importante projeto arquitetônico na cidade, que marca uma importante face da arquitetura brasileira presente em uma das mais importantes cidades do mundo.


Dizem que, até mesmo o político francês de direita e ex-presidente Georges Pompidou admitiu com grande ironia que o edifício “era a única coisa boa que esses comunistas já haviam feito”.

Comments


bottom of page